segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Miei amici, per me che sono un tifoso della vita e del tempo

Ao som de Ok Ok, Violins.

Violins é, sem dúvida alguma, a banda que mais me traz à mente as primeiras semanas de convivência com meus melhores amigos, o grupo dos meus melhores amigos. À época, eram esses eram apenas uma mescla de recém-conhecidos-que-luminavam-espectativas. Hoje, são minha família.
Há algum tempo, deixei de ouvir Violins, principalmente os primeiros álbuns. Hans me derrete, Vendedor de Rins me dilacera, Glória me destrói, Ok Ok me consome, Camus me crucifica.
Acho que nunca havia comentado isso com eles, mas meu sentimento à época em que os conheci é algo deveras peculiar. Lembro bem de locais-situações: a aranha no parquinho do Martim e a minha mentira sobre a Igreja Universal, a festa de aniversário no Alphaville e o jogo da garrafa numa casa em construção, os recreios no WR e os aniversários nas sacadas, o sol do Vaca Brava brilhando na Cult com a capa d'Os Sonhadores, a MUEDA ao som de Muse. Difícil esquecer.
Engraçado pensar nisso hoje, como não poderia deixar de ser. E o comentário leviano que me levou à idéia de escrever esse post (que acabou se disvirtuando): eles representavam praticamente tudo o que eu queria àquela época. E, a forma como eu os via era extamente algo curioso: alternativos, dos que tem coragem de ir com um chapéu-coco para o colégio, pintar as pontas do cabelo de laranja. Um oasis naquele colégio so children-of-the-sugar-cane.
Cômico como minhas percepções podem ser ridículas e fofas depois de um tempo: a primeira vez que fomos no Matsuri - rodízio, por favor - pedi ao garçom uma coca lata e no segundo seguinte me preocupem acerca do que eles achariam disso, um playboy bebendo coca-cola, auge do imperialismo capitalista. Só me tranquilizei quando a Dora também pediu uma. Rsrsrs.
Agradeço todos os dias da minha vida por ter caído no 2º ano "C".

3 comentários:

beto,,, disse...

hehe
gostosinho ler isso
muito

Tati disse...

kkkkkkkkk
ainda estou sobre efeito da rasada gostosa do comentário da coca. kkkk Que divertido!

Tb achei uma delícia ler isso...e também adoro ter caído no 2ºC e te conhecido. Não teve como não aproximar, nem maginávamos tudo isso que viria (NUNCA!), mas...de alguma forma eu sabia que me aproximaria de vc. O quanto todas as percepções eram diferentes, né?
Achei muito legal vc lembrar o parquinho...cara, a forma como eu te via era completamente outra, e vc tb era completamente outro! Lembro que a dora te queria, e por isso que passamos a te chamar pra sair! kkkkkk
Aiai, adoro nostalgia.
Beijos.

Luiza disse...

que medo!
não lembro de qual segundo eu era. era o D? que medo de mim. medo do meu ensino médio.