domingo, 9 de março de 2008

Bastidores de um Curta

Até agora o detalhe mais peculiar que eu percebi nesse processo todo advém do processo produtivo. Fazer um filme se faz essencialmente diferente de, por exemplo, escrever um conto, pura e simplesmente pela sua produção: ao escrever um conto, você já tem, a cada palavra colocada no papel, o resultado final do processo criativo, coisa que não ocorre de forma alguma ao falarmos de filmes. Não se tem o que se produz até o momento final do feitio. É algo impressionante e, até mesmo, assustador. Há cerca de uma semana iniciamos as reuniões da produção, e até hoje não temos sequer qualquer coisa pronta do curta, no seu formato final! Estamos cada dia levantando escadinhas, colocando tijolinhos, que farão o filme nascer apenas nos últimos instantes da produção. Fazer filmes: dar tiros no escuro mirando alvos muito delicados e invisíveis, tentando adivinhar o tom de cada elemento na tela, em mil notas musicais mentais. Maravilhoso.

2 comentários:

beto,,, disse...

também seu escrito

Cazarim de Beauvoir disse...

o processo de feitura de uma obra de arte é assim tão diferente do de outras fomras de expressão?