quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Há dias quero postar algo aqui. Mas nada me vem a mente. Penso que para redigir é preciso, a priori, pensar. Ou pelo menos para redigir o que eu gostaria de redigir é preciso pensar para, pelo menos, ter algo a desenvolver na escrita. Não há sentido algum em sentar e deixar fluir livremente os dedinhos quando na verdade o que se quer é desenvolver algo. Estou tentando fazer isso aqui agora. Right now. Percebi que não tenho conseguido escrever nada nesse sentido aqui, e, o que me dá medo, é que talvez seja porque não tenho pensado muito ultimamente.

Lendo o blog da Ly agora há pouco, pensava(!) em como ela chegou a conceber o último post. Eu com a minha pala imagética louca a tira-colo, a vi deitada na cama, fumando um cigarro, com o cenho levemente franzido, olhando pra janela observando um temporal caindo lá fora (dizem que está chuvendo horrores em Goiânia...)

Ademais, tenho me apaixonado por alguns textos bem escritos, aqueles que dançam com uma fluidez invejável e com um trato distinto de concepção e desenvolvimento argumentativo. "Quero escrever desse jeito", penso enquanto leio telegramas de Baku, Astana ou Windhoek.

8 comentários:

beto,,, disse...

volta a escrever!

Anônimo disse...

bjomipaga!

Anônimo disse...

Apesar de vc ter me ignorado para sempre, gosto muito de vc!
=)

Anônimo disse...

Cade vc??

beto,,, disse...

lendo antigos desse blog. gostei tanto. deu saudade de te ler.

Lívia disse...

A demora (mas o que ha de ser o tempo) faz parte da criação. Algumas coisas dão-nos a impressão de terem nascido de puras epifanias, mas sabe, não acredito em leves impulsos de clarividência. tudo vai sendo arquitetado silenciosamente. eita coisa maligna.

Anônimo disse...

Feliz natal 2011!

brunn@blogger disse...

Olá, acho que essa sensação que você descreve é a mesma que todo aquele que realmente conhece e valoriza o poder da palavra escrita sente ao escrever-ou tentar fazê-lo.
Parabéns!