quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Saraivando

Querido dsiário, [adoro curtir com gêneros literários! haha!]

Comprei dois livros importantes hoje, por puro impulso. Um deles eu já estava namorando a muito tempo, o outro, foi paixão a primeira vista ao vê-lo naquela prateleira de madeira, quietinho, sorrindo para mim, em meio a todo aquele clima de ar-condicionado da livraria.
O primeiro, um curso de Italiano, passo a passo. Interessante, decidi hoje que vou ser autodidata para algumas coisas. No caso de aprender Italiano, decorre da conclusão de que eu não vou perder meu tempo frequêntando aulas de uma língua que não é essencial e muito menos tão importante quanto outras na minha vida. É puro hobby, e uma paixão que vem desde Cabíria e seu "Io no voglio vivere più!".
O outro é o tipo de livro que se compra por ostentação, para se ter na sua biblioteca particular: um volume único com as obras completas dos Irmãos Grimm, traduzido para o Inglês numa versão de 1869 (uma tradução anônima, o que é ainda mais emocionante, hihi!). Ah!, o melhor: por apenas 14 reais.
Eu cometi a piada de pedir para embrulhar para prensente, como se as atendentes estivessem bem desocupadas e disponibilíssimas para realizar tais caprichos de uma pessoa em um momento tosco. Mas eu quis para presente! Quis me dar os livros. Pronto.
- Aqui está, Felipinho, uma lembrancinha, meu querido!
-Oh! - cara de espanto -, mas que honra!

4 comentários:

Luiza disse...

gosto de mandar embrulhar para presente coisas que compro para mim mesma.
em especial, livros.
=)

beto,,, disse...

nunca fiz essa de embrulhar um presente para mim. e espero que vc tenha sucesso no auto-didatismo: eu me propus a algo do gênero nas férias, só que, só que nem coragem de começar tive ainda.... =~~

Cazarim De Beauvoir disse...

acho todo o supérfluo essencial.

Cazarim De Beauvoir disse...

eu aprendi essa de embrulhar presentes pra mim mesmo com uma amiga. é como a tal taxa de 10%: já tá incluída no serviço, então eu faço questão. no caso dos garçons, de não pagar; no caso dos presentes, de fazer uso.